6 grandes apelidos para 6 grandes guitarras

cabecaNeilsPaul

Guitarras, na verdade, não são instrumentos musicais; bem, são… é claro que ela operam como um, suas funções também coincidem; assim como pianos e trompetes, guitarras permitem criar composições, estudar teoria musical nos seus mais amplos aspectos e também quem sabe, com ajuda de um bom músico, poderá alcançar lindos timbres. Mas a verdade é que há algo em guitarras elétricas que as tornam mais do que um pedaço de madeira com cordas.

Grandes guitarristas sempre trataram suas guitarras como algo mais do que seu mero instrumento de trabalho, como um martelo ou uma chave de fenda, digamos assim; eles sempre as trataram como um membro próximo da família, talvez um bom amigo, um companheiro, ou mesmo uma paixão indevassável; esse tipo de relacionamento entre o guitarrista e a guitarra elétrica não é sem razão, o guitarrista muitas vezes tem de travar uma verdadeira batalha com a guitarra, às vezes ela pode simplesmente nem dar bola, ficar lá inerte, paralisada como um tronco de madeira tedioso, sem demonstrar qualquer pingo de inspiração, como de deboche ao guitarrista que luta incessantemente para criar alguma coisa, ignorando silenciosamente suas tentativas (e muita gente aqui vai dizer: putz! e não é que o cara ainda bota culpa na guitarra? hahaha).

Mas por vezes, quem sabe,  por piedade da guitarra, de repente surge algumas poucas notas no fim do túnel, um instante de lampejo, aquela luz fraquinha começa a virar uns riffs um pouco mais completos, e quando menos se espera, surge algum momento de completa sinergia entre o guitarrista e a guitarra, e aqueles poucos minutos, ou mesmo horas de batalha sem fim, somem completamente na eternidade daquele momento de pura criatividade, brotando sons espetaculares. Grandes guitarras do rock n’ roll, tornadas famosas pelos seus donos, exemplificam melhor do que mil descrições, a relação que mantiveram com seus donos por meio do gesto carinhoso em que foram batizadas com algum nome, um apelido, e assim se tornaram também famosas. O site da Gibson listou uma relação dos 6 melhores apelidos dados por guitarristas às suas próprias guitarras, não necessariamente em ordem de importância. Dê uma conferida nesta lista:

6) “Old Black” de Neil Young

neilold

NeilsPaul 

Gibson Les Paul de 53, originalmente em finish goldtop, repintada em preto em 1969. Neil fez diversas modificações nessa Les Paul, incluindo a adição de um captador minihumbucker de Firebird na posição da ponte, a instalação de uma ponte Tune-O-Matic e um tremolo bigsby, e um pickguard de alumínio

 

5) “Blackie” de Eric Clapton

claptonblackie

blacki1

blackie2

Uma Fender Stratocaster em finish preto, construída a partir das melhores partes de três Stratos que Clapton comprou por US$100,00 cada na Sho-Bud guitarshop em Nashville. Essas stratos eram provavelmente modelos pré-cbs, antes da Fender ser comprada pela Holding CBS, quando os braços ainda tinham o headstock menor e o logo Fender ‘spaggeti’. As marcas da blackie são impagáveis, a traseira dela está toda descascada, pela fricção de cintos nos milhares de shows e ensaios que Clapton a utilizou; tem também a marca de cigarro no headstock, que Clapton esqueceu queimando lá, provavelmente no meio de algum solo, e claro, as marcas na escala, típicas especialmente nas escalas em maple, de cor clara, em que ficam pequenos sulcos na madeira por conta dos vibratos feitos em cada casa.

 

4) “Trigger” de Willie Nelson

 willienelsontriggie

O violão “triggie” de Nelson, companheiro notório das mais duras batalhas (pelo visto né). Willie nunca o largou por qualquer outro (!!!!) violão, é claro. É bastante óbvio que este violão passou por poucas e boas, tem até  um furo no tampo, que está completamente erodido e o verniz já foi embora há muito temmmmpo, quando Nelson ainda devia estar nos seus 60 anos, hehehe. Triggie e Nelson estão juntos há quase 40 anos!!!!

 

3) “Number One“, a.k.a “First Wife”, de Stevie Ray Vaughan

stevienumberone

file_424_57

A famosíssima “number one” de Stevie, ou ainda, a.k.a, “primeira mulher”. Uma linda Fender Stratocaster de 1961 que teve seu acabemnto sunburst original corroído pelo tempo, pelo suor, pelas palhetadas, revelando um lindo corpo em alder escurecido, com seus veios flamejantes. A Number one teve dois diferentes braços, um de 62 e outro de 63. Stevie também acrescentou uma ponte de strato canhota, de forma que a alavanca ficasse em cima, como Hendrix utilizava. Essa mudança de ponte acabou resultando em um buraco, que Stevie cobriu com um adesivo, escrito custom. Alé disso, colou também um adesivo SRV no escudo preto, tornando essa guitarra reconhecível no mundo todo, ao primeiro olhar, a primeira mulher de Stevie

2) “Big B” de Bo Diddley

bodidleybigone

bodid2

Ahhhn, o quê? Uma guitarra retangular! Big B pode ser considerada a primeira guitarra retangular do mundo (mas por acaso há alguma outra?). Diddley instalou braços, ferragens, parte elétrica e captadores de uma antiga Gretsch em um corpo retangular. Não muito satisfeito com o resultado, ele pediu à Gretsch que customizasse para ele uma guitarra retangular, o que foi feito… em 1958!!!!

 

1) “Lucille” de B. B. King

bbkinglucille2

bbkinglucille1

Ah, este sim um verdadeiro caso de amor. A guitarra que quase virou cinzas sob um grande incêndio numa casa de shows. B. B. King pôs sua própria vida em risco para salvar sua guitarra, no que de fato têve êxito. Depois do ocorrido, King descobriu que o fogo havia começado em decorrência de uma briga, em que dois rapazes, discutindo por causa de uma mulher, acabaram derrubando um latão de querosene ao chão (que serviam como aquecedores de ambiente, à época). B. B. então descobriu que o nome daquela mulher, estopim de um incêndio que quase levara sua guitarra às cinzas, era Lucille.  B. B. King afirma que a primeira, a original Lucille, era uma ES-335 de 1949. Depois, B B passou a usar versões, feitas sob encomenda, de uma ES-355, com marcações em bloco de madrepérola, ferragens douradas (de fato, folheadas a ouro), ponte com micro-afinação e incrustações de seu nome, tanto na escala, às vezes, quanto no headstock. Uma linda guitarra!

artigo original: http://www.gibson.com/en-us/Lifestyle/Features/guitars-with-names-514/

Abraço a todos!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s